h1

Lightroom – Balanço de Branco

13/11/2008

Quem acompanha o blog deve se lembrar do tópico sobre Temperatura da Cor, pois já do que se trata o assunto, precisamos saber agora como aplicar este conhecimento à fotografia digital.

Digo fotografia digital porque a temperatura da cor na época da fotografia analógica era ciência de foguetes. O fotógrafo tinha de saber previamente o tipo de iluminação que teria, então comprar o filme apropriado para aquele tipo de luz, ou então utilizar filtros coloridos para compensar a temperatura da cor da luz. Na fotografia digital isto ficou muito mais simples.

Fotografia JPEG

Para quem fotografa em JPEG, o cuidado tem de ser dobrado. Diferente do RAW, as alterações que compensam o balanço de branco são fixadas permanentemente no JPEG, e uma compensação errada pode prejudicar sua imagem de forma irremediável.

O usuário, então, tem a possibilidade utilizar as pré-definições da câmera ao fotografar, que são aquelas opções Sunlight, Shade, Fluorescent, Tungsten e etc., para adequar a imagem à temperatura da cor. Estas pré-definições funcionam muito bem em situações óbvias de luz… mas em situações de luz mista ou de temperatura diferenciada, pode ser o início de um desastre.

Neste caso o usuário tem outras duas opções. A primeira delas o AWB (Auto White Balance – Balanço de Branco Automático). O AWB analisa sua imagem e busca neutralizar as cores. Funciona muito bem na maioria das vezes, mas em cenas que não possuam elementos brancos ou neutros o AWB pode ser enganado e confundir a configuração.

Para esta situação, é possível configurar um Custom White Balance. As câmeras mais modernas fazem isto com base em uma fotografia que possua um grande elemento branco ou cinza neutro fotografado sob a luz da cena. Com base nesta imagem a câmera fixa um balanço de branco que será utilizado nas outras imagens da mesma sessão de fotos.

Mas a forma mais segura de lidar com o Balanço de Branco é fotografar em RAW.

Fotografia RAW

Diferente do JPEG, a imagem RAW não registra permanentemente a configuração de balanço de branco utilizada. A câmera registra no EXIF (Pacote de metadados que acompanha a imagem, com informações sobre hora, data, modelo da câmera, configurações e etc.) a configuração de balanço de branco utilizada, mas a imagem em si não é alterada, de forma que o usuário pode, caso a câmera não tenha escolhido a configuração correta, corrigir o WB sem qualquer perda de qualidade.

O Lightroom nos oferece algumas formas diferentes de encontrar o balanço de branco correto (ou então utilizar um incorreto como ferramenta artística). O último método é o mais rápido e funcional, mas é útil conhecer outros métodos para momentos em que sua imagem não possui um elemento neutro visível ou então você deseja explorar o balanço de branco como uma ferramenta criativa.

Método 01: Pré-definições

O primeiro método de Balanço de Branco consiste em experimentar as pré-definições padrão de balanço de branco. É como utilizar as mesmas pré-definições diretamente em sua câmera. A vantagem é que como você fotografou em RAW, pode experimentar sem riscos à sua imagem, de forma instantânea, e sem a necessidade de se fazer uma foto nova com cada configuração até encontrar a correta.

Vejamos a foto do meu lindo sobrinho (tio babão detected!!), onde a luz do flash deixou a foto muito quente (tonalidade avermelhada).

WB_001 

A foto acima é uma foto simples de encontrar o balanço de branco, graças à roupa do bebê que sabemos ser branca. O branco ou cinza sempre será nossa referência ao se definir o balanço de branco da imagem. Se você levar a imagem ao Photoshop ou Lightroom e tirar uma amostra da cor da roupinha, perceberá que ela possui mais vermelho e verde do que azul, que resulta na cor amarelo/laranja que vemos.

As configurações de Balanço de Branco do Lightroom ficam no módulo Develop, na parte de cima do painel Basic, logo abaixo do histograma e da pequena caixa de ferramentas. É ali que começaremos a explorar o menu de pré-definições do balanço de branco, que pode ser visto na imagem abaixo circulado em vermelho.

WB_002

Quando você abrir uma imagem RAW no Lightroom, neste menu WB: encontrará a opção “As Shot”, que significa que o LR está utilizando a mesma configuração especificada pela sua câmera no momento da captura. Caso sua imagem seja um JPEG, as únicas opções serão “As Shot”, “Auto” e “Custom”. Quando a imagem é RAW você tem no menu todas as pré-definições de balanço de branco. Basta clicar no menu e selecionar uma das opções para ela ser imediatamente aplicada a sua imagem. Como sua imagem é um RAW, não há mal nenhum em se testar todas as pré-definições e ver qual se aproxima mais da cor neutra.

Daylight (Luz do Dia)

WB_003

Cloudy (Nublado)

WB_004

Shady (Sombra)

WB_005

Tungsten (Tungstênio)

WB_006

Fluorescent (Fluorescente)

WB_007

Flash

WB_008

Como podemos ver na lista, a melhor solução para a imagem foi exatamente a configuração Flash, que esfriou as cores no ponto para deixar a roupa neutra. Mas em uma situação de iluminação mista pode ser difícil que alguma pré-definição solucione totalmente o problema. Entre as pré-definições há uma configuração chamada “As Shot” que utiliza a configuração fornecida pela câmera, e “Auto” que faz com que o próprio LR tente equilibrar as cores. Se você utiliza sua câmera no AWB, as configurações As Shot e Auto normalmente dão resultados bem similares.

Método 02: Custom

Abaixo do menu WB existem dois deslizantes chamados Temp e Tint, mexer em qualquer um deles faz com que o menu WB apresente a opção Custom, que significa que você irá aplicar na imagem uma configuração de balanço de branco diferente das pré-definições oferecidas.

A forma de se utilizar os deslizantes é bastante intuitiva, e a Adobe ainda tomou o cuidado de facilitar ainda mais a sua vida colorindo os deslizantes de forma que você saiba qual a tendência de cor oferecida por cada um deles. O deslizante Temp esfria as cores quando puxado em direção ao azul (esquerda) e aquece em direção ao amarelo (direita).

Já o deslizante Tint oferece correção para fotos esverdeadas ou amagentadas. Puxar para longe do verde (direita) reduz o tingimento verde da imagem, normalmente fornecido pela luz fluorescente, e para o outro lado, longe do magenta (esquerda), reduz-se o tingimento amagentado da imagem.

Este método é a melhor opção quando sua imagem não tem um elemento neutro que você possa utilizar como referência para o método 03. Neste caso, a sua melhor opção é utilizar o método um para encontrar a pré-definição que lhe dá as cores mais neutras, e então utilizar os deslizantes Temp e Tint para fazer ajustes finais no balanço de branco e chegar o mais próximo ao neutro possível. Este método também é muito útil para se aplicar configurações criativas de balanço de branco.

Método 03: White Balance Selector

Acabei de lhe mostrar dois métodos interessantes, mas o LR oferece um último método (que será o seu primeiro na maioria das vezes) de configurar o balanço de branco que é simplesmente incrível. O único “porém” deste método é a necessidade de haver um elemento branco ou cinza-neutro na cena para ser utilizado como referência.

Ao lado do menu pop-up WB (aquele das pré-definições) há um círculo escuro com um conta-gotas dentro dele. Este conta-gotas é a ferramenta White Balance Selector, e clicar nela faz com que você a tire do lugar e a utilize para clicar um ponto da imagem que será utilizado pelo LR para equilibrar o branco. Abaixo, a ferramenta em seu lugar de repouso.

WB_009

Basta clicar sobre o conta-gotas para pegá-lo, e então clicar em algum ponto da imagem que deva ser neutro. O LR irá analisar o ponto em questão, e então alterar os canais de cores até que aquele ponto fique neutro, balanceando assim toda a imagem.

Por padrão, quando você clica na imagem, o LR automaticamente devolve a ferramenta ao lugar dela, mas isto pode ser mudado desativando a opção “Auto Dismiss” que aparece na parte de baixo da área de visualização da imagem. A vantagem disto é poder clicar várias vezes na imagem até encontrar o WB correto.

Dê preferência para um ponto da imagem que deveria ser cinza neutro, e não branco. Isto se deve ao fato que áreas brancas da imagem possuem pouca abrangência de desvio para a ferramenta trabalhar, um canal que poderia estar desviado devido à temperatura da luz, pode atingir o “teto” facilmente na cor branca e não ser corrido pela ferramenta. Por isto, no caso da imagem, clicaremos em um pouco da roupa que a sombra desvie para o cinza, e não na área mais clara e branca da roupa.

WB_010

Clicar na roupa do bebê (na área cinza) fez com que o Lightroom desviasse um pouco da configuração Flash, aquecendo um pouco as cores de 5500 para 5800, e desviando o Tint para o magenta em +5 pontos.

DICA: A tecla de atalho (W) aciona a ferramenta White Balance Selector e funciona também no módulo Library. Ou seja, se você estiver vendo todas as suas imagens no Library e encontrar alguma que precise de uma nova configuração de balanço de branco, basta pressionar W e o LR lhe leva ao módulo Develop automaticamente, com a ferramenta White Balance Selector já selecionada. Bastando clicar na imagem.

DICA: O painel Navigator no topo da área de painéis esquerda lhe dá um preview da aplicação do WB com a ferramenta White Balance Selector. Basta mover o conta-gotas sobre a imagem e observar o Navigator para ver como ficará a imagem caso você clique exatamente naquele lugar.

Fluxo de Trabalho

E quando sua imagem não possui nenhum elemento cinza? Você sempre pode inserir o elemento em uma imagem para utilizar como referência para toda uma sessão fotográfica que seja feita sob a mesma iluminação.

Digamos que você irá fotografar uma modelo, já ajustou a iluminação para toda uma seqüência de fotos, mas nem o cenário ou a modelo possuem um elemento neutro que possa ser utilizado no WB.

Então, para a primeira foto da sessão, peça que a modelo segure um cartão cinza 18%, destes vendidos em lojas especializadas de fotografia, ou então algum elemento neutro qualquer. Feita esta foto, de seqüência na sessão normalmente, pois esta primeira imagem será sua referência para a correção do WB (caso você altera a iluminação durante a sessão, faça uma nova foto de referência com o cartão cinza para esta nova seqüência – no fim, você terá uma foto com cartão para cada esquema de iluminação utilizado).

Quando você abrir sua sessão no LR, selecione a primeira imagem e vá ao módulo Develop. Selecione a ferramenta White Balance Selector e clique sobre o cartão cinza para ajustar o balanço de branco. Feito isto, vamos copiar esta configuração e aplicar e todas as suas imagens.

Para fazer isto, clique no botão COPY, que fica na parte de baixo da área de Painéis esquerda. Isto fará abrir a janela abaixo, chamada Copy Settings.

WB_011

Nesta janela você escolhe quais configurações serão copiadas da imagem atual para serem aplicadas. Comece clicando no botão CHECK NONE para desativar todas as caixas de verificação. Agora clique na opção White Balance para selecionar apenas ela. Clique COPY e o LR irá memorizar as configurações de balanço de branco desta imagem.

Agora pressione a tecla de atalho (G) para voltar ao módulo Library e visualização Grid. Selecione as imagens da sessão que tenham sido feitas com a mesma configuração de iluminação. Todas selecionadas, vá ao menu PHOTO >> DEVELOP SETTINGS >> PASTE SETTINGS, e isto aplicará sua configuração corrigida de WB em todas as imagens da sessão. Você não tem um cartão cinza em todas elas, mas o cartão cinza da sua primeira imagem foi utilizado como referência para corrigir todas elas.

Com estas ferramentas do Lightroom, não se tem mais desculpa para se errar no balanço de branco. Principalmente se você tiver tempo para planejar sua sessão de fotos.

Grande abraço para todos.

7 comentários

  1. Muito bom seu blog… coloquei seu link no meu… estarei fazendo visitas…

    abs,
    Bruna.
    http://historiasdefotografia.wordpress.com/


  2. Muito legais seus textos. Instrutivos e diretos, como deve ser.
    Abraços,
    ivan


  3. Excelente tutorial! =)

    []s


  4. Muito bom Raphael,textos simples ,facil de entender,vai facilitar muito minha vida.


  5. […] Texto original by Raphael Bonelli […]


  6. joia, muito bem explicados os seus textos!
    saudacoes!


  7. […] Texto original by Raphael Bonelli […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: